Convento das Mercês

Pátio interno das Mercês / Foto: Governo do Estado

O Convento das Mercês, que também já foi um quartel, hoje é sede da Fundação da Memória Republicana Brasileira e foi eleito recentemente um dos Sete Tesouros de São Luís. Sua construção foi iniciada em 1654, quando chegaram à São Luís os mercedários João Cerveira (maranhense de Alcântara) e Marcos Natividade, vindos de Belém, que se juntaram aos frades Manoel de Assunção e Antônio Nolasco, além do leigo João das Mercês. Foi erguida ali em taipa coberta de palha.

Confira quais são os Sete Tesouros de São Luís.

Igreja das Mercês / Álbum 1908 – Gaudêncio Cunha

No ano seguinte, em terreno adicional, reedificaram as instalações em pedra e cal, construindo a capela-mor. Segundo o professor Jomar Moraes, “criado pelo Convento do Pará, o Convento das Mercês de São Luís e de Alcântara formavam, com o primeiro, uma vicaria dependente de provincial sediado na Espanha. É provável que esteja aí um dos motivos das diversas medidas restritivas que a Ordem sofreu, inclusive a de absoluta submissão ao arbítrio episcopal, que abrangia ilimitada ingerência no destino de seus bens”.

Antiga Igreja das Mercês será reconstruída

Com a Independência do Brasil (7 de setembro de 1822), iniciou-se um processo de esvaziamento do imóvel que resultou em seu abandono. Somente em meados do século XIX o logradouro passará por intervenções, destinando-se seu espaço para sede do Seminário Menor. Em 5 de maio de 1905, o prédio foi vendido para o Governo do Estado do Maranhão, que tratou de fazer novas intervenções na arquitetura original, invertendo, inclusive, as frentes do convento e da igreja anexa (que davam para o mar) e lhes conferiu a unidade de fachada única.

Restauração – As intervenções foram de responsabilidade do Tenente Coronel Zenóbio da Costa. O motivo era simples, o local abrigaria o quartel da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Estado, que permaneceram ali até o final da década de 1980, quando os batalhões foram transferidos para as sedes atuais.

Saiba mais sobre a Cafua das Mercês - Museu do Negro.

Pátio, com vista do poço / Foto: Divulgação

Com a saída das milícias, o imóvel passou por novas reformas (1987-1990), durante o Governo de Cafeteira. A entrada principal está voltada para Rua Jacinto Maia, protegida por canteiros de palmeiras. Ao lado fica a Cafua das Mercês. Foram retirados os anexos que descaracterizavam a obra, descobertos os arcos originais e o poço. Nesta restauração, encontraram-se os alicerces da igreja demolida. Hoje, com 5.800 m² de área construída, o Convento das Mercês é detentor de um rico acervo museológico e bibliográfico, e palco de eventos culturais e artísticos, como o Maranhão Vale Festejar, o São João fora de época de São Luís.

Visite:

Convento das Mercês – Fundação da Memória Republicana Brasileira
Onde: Rua Jacinto Maia, Praia Grande, ao lado da Cafua das Mercês
Como chegar: Pegue qualquer ônibus que entre no Terminal de Integração da Praia Grande, onde irá descer. Saia do terminal, siga a calçada pelo lado direito. Mais adiante você conseguirá ver no alto de um morro o Convento, do outro lado da avenida, depois do descampado.

Com informações de Jomar Moraes (Guia de São Luís do Maranhão, 1995)
About these ads

3 Respostas para “Convento das Mercês

  1. Faltou contar que ana jansen jogava os escravos dentro do poço…hehehe…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s