Teatro Arthur Azevedo

O Teatro Arthur Azevedo, um dos mais belos cartões-postais e importante casa de espetáculo de São Luís, assim como a maioria dos teatros brasileiros erguidos no século XIX, foi construído para atender os anseios da pequena burguesia ludovicense da época que, enriquecida pela próspera produção de algodão no estado, desejava ver na cidade um espaço para realização de espetáculos de arte dramática e música lírica de qualidade e em condições adequadas como nos principais centros culturais do mundo.

Por iniciativa de Eleutério Lopes da Silva Varela e Estêvão Gonçalves Braga, ricos comerciantes portugueses que se instalaram na região, o teatro, o quarto construído na cidade, começou a ser erigido no ano de 1815 em uma das áreas mais nobres da capital maranhense, na época, a quarta mais importante cidade brasileira. A planta original desta grande casa de espetáculos previa abrir as portas do templo da arte para o nobre Largo do Carmo / Praça João Lisboa, tendo, aos lados a Rua do Sol e da Paz, onde uma fachada imponente mostraria toda a grandeza da obra, e aos fundos, a Travessa dos Sineiros.

Conheça também o Teatro João do Vale, em São Luís.

Mas, quem conhece a cidade, sabe que ali também está a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que abrigava os padres da Ordem Carmelita. E foram esses vizinhos que criaram um obstáculo para a construção do teatro que já havia sido iniciada, alegando ser inapropriado a igreja ter na vizinhança uma casa de espetáculos profanos que afrontaria os valores religiosos. A contenda judicial perdurou por algum tempo resultando no embargo da obra.

Para não desagradar a população, que tanto desejava o espaço, o juiz Antônio Ferreira Tezinho, também padre, permitiu a continuidade da obra impondo algumas condições que desfavoreceram, de certo modo, a suntuosidade do templo artístico. O teatro, então voltou a ser construído em 1816 com sua fachada principal voltada para a Rua do Sol, como conhecemos hoje, perdendo a ventilação natural da cidade.

O prédio, contudo, ficou acanhado, espremido entre outras construções, tendo à frente e à lateral ruas de alta circulação automotiva que causavam barulhos consequentes e perturbadores, além das dificuldades de estacionamento. Ainda assim, o teatro, único monumento em estilo verdadeiramente neoclássico da cidade, era visto como um ambiente de bom gosto pelos ludovicenses. A saber, o estilo neoclássico é difundido ao Brasil por intermédio da missão artística francesa trazida por D. João VI em 1816.

Saiba mais sobre a Praça João Lisboa, no Centro de São Luís.

Inauguração– Foi necessário apenas um ano para que o teatro abrisse suas portas. Em 1º de julho de 1817 era inaugurado então o Teatro União, dois anos após a inclusão do Brasil ao Reino Unido de Portugal e Algarves, fato que originou o nome do prédio. Baseado no chamado teatro de plateia italiano, em formato ferradura, a casa é constituída de um espaço central, com excelente ângulo de visão frontal, e de quatro ordens de espaços verticais: frisa, camarote, balcão e galeria, além de um camarote governamental, possuindo ao todo 800 lugares, que acomodava assim 5% da população local na época, que puderam conferir as afamadas companhias francesas, portuguesas, italianas e espanholas em seu tempo áureo.

Platéia do Teatro Arthur Azevedo / Foto: Governo do Estado

Desde sua inauguração, o União passou por tempos áureos e de grandes crises, chegando a fechar as portas por longos períodos. Em1852, acasa passa a se chamar Teatro São Luiz, com a vinda de uma companhia dramática de Portugal. Já 1854, na noite de 26 de abril, foi realizado ali o primeiro baile de máscaras, fato inédito e de grande repercussão na província.

Nesse mesmo ano, no dia 21 de junho, o local serviria de berço para Apolônia Pinto, filha de uma atriz portuguesa que entrou em trabalho de parto em pleno teatro. No camarim número 1, nascia uma das grandes atrizes do teatro brasileiro, que já aos 12 anos encantava platéias com a peça “A Cigana de Paris”. Já com pouco mais de 65 anos, Apolônia Pinto é esquecida no Retiro dos Artistas no Rio de Janeiro, vindo a falecer em novembro de 1937 com 83 anos.

Foyer do Teatro onde estão localizados busto de Apolônia Pinto e Arthur Azevedo / Foto: Governo do Estado

Os restos mortais de Apolônia Pinto estão guardados no próprio Teatro, no piso térreo, em um nicho dá acesso à platéia. Lá, a atriz foi homenageada, ainda, com um busto em bronze e uma placa alusiva à sua brilhante trajetória cultural, localizada no próprio camarim nº 1.

O nome definitivo, Teatro Arthur Azevedo, veio na década de 20, durante o governo de Urbano Santos, em homenagem ao ilustre e genial teatrólogo maranhense Arthur Nabantino Gonçalves Azevedo, um dos expoentes da literatura teatral brasileira. Em momentos de crise, o teatro também passou a funcionar como cinema, além de sofrer restaurações que acabaram por descaracterizar alguns de seus elementos. Na década de 60, o governo de Newton Bello pôs fim ao contrato com a empresa cinematográfica Mattos Aguiar, que o havia arrendado, e reverteu a casa ao patrimônio do Estado.

Reformas – Em 1969, após prolongado período de reforma realizada pelo governo José Sarney, o Teatro Arthur Azevedo foi novamente entregue ao público, com a montagem da peça de João Mohana “Abraão e Sara”, encenado por artistas amadores do Maranhão – nessa época, a casa foi presenteada com o seu famoso lustre, doação da então primeira-dama Marly Sarney.

Reforma do Teatro Arthur Azevedo / Foto: Chen YC

No governo de Edison Lobão, um grande projeto de reforma e restauração foi realizado, colocando o TAA entre os mais modernos e bem equipados do mundo. A primeira etapa envolveu a pesquisa histórica para reconstituir os detalhes originais, a segunda foi iniciada com uma modernização do palco, restauração da platéia e construção de dois anexos, onde funcionam as partes administrativa e de serviços. A casa foi reinaugurada no final de 1993 com várias mudanças. A última reforma ocorreu em janeiro de 2002.

Anúncios

2 comentários sobre “Teatro Arthur Azevedo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s