Teatro da Cidade de São Luís

Teatro São Luís / Foto: Divulgação

O Cinema das Estrelas, como ficou conhecido o Cine Roxy, agora sede espaço para o Teatro da Cidade de São Luís. Construído no ano de 1939 pelo arquiteto por Moysés Azis Tajra, o espaço abrigou uma das mais conceituadas salas da capital, em um tempo em que na Ilha existia pelo menos uma dezena de cinemas que movimentava a cena cultural ludovicense.

Conheça a história dos cinemas de São Luís.

A sessão de abertura foi com o filme “As aventuras de Hobin Hood”, que ficou por três mesesem cartaz. Ogovernador do Estado, Paulo Ramos, o então prefeito de São Luís, Pedro Neiva de Santana, e arcebispo Dom Carlos Carmelo, à época, participaram da solenidade de abertura. O proprietário do local era apaixonado por músicas clássicas e Strauss era seu compositor predileto. Trinta minutos antes do início do filme, ele iniciava uma programação musical.

Localizado na esquina da Rua do Egito com o Beco da Sé, o prédio do Cine Roxy tem característica Art Decó, uma estrutura de traços retos que pode ser observada em sua pequena torre, sobre qual estava o letreiro luminoso com o nome do cinema. Uma curiosidade: a fachada foi inspirada em uma fotografia publicada em uma revista mexicana e segundo a pesquisadora Val Barros, o cinema é uma reprodução de outro muito famoso que existia nos EUA. “Como passavam muitos filmes americanos, existia um culto a esse cinema”, disse a cientista social.

Após tempos áureos, infelizmente, o Roxy não conseguiu acompanhar a revolução tecnológica e os filmes premiados cederam espaço para as produções pornôs. O primeiro filme de conotação sexual exibido no cinema foi “O império dos sentidos”, dirigido por Nagisa Oshima, produção japonesa que foi proibida no Brasil durante muitos anos. Nem mesmo assim, o cinema conseguiu se sustentar por muito tempo. Na virada do século, o declínio era ainda mais evidente.

Fachada antiga do Roxy / Foto: Divulgação

Restauração – Para receber o Teatro da Cidade de São Luís, durante um ano o Cine Roxy passou por um longo processo de restauração. A obra do espaço ficou a cargo da Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph), sob acompanhamento do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que baseou seus trabalhos em pesquisas históricas e fotos antigas do prédio. A reforma manteve as principais características arquitetônicas do imóvel, como a inclinação do salão principal, a fachada com o nome do antigo cinema, além do traçado da planta principal do prédio.

Alguns espaços foram ampliados, como o palco, que passou a ter 53m³, o dobro da área que tinha antes, todo em madeira freijó, e a bilheteria. O salão, com capacidade para 265 lugares, com cadeiras numeradas e revestidas em tecido, recebe o nome do teatrólogo e dançarino maranhense Reynaldo Faray. No térreo tem ainda camarins, foyer, banheiros e espaço para arrendar um café. No piso superior, ficou a sala de administração, cabine de som e de projeção com equipamentos de áudio e vídeo multimídia e sistema de iluminação com 18m², além de copa e cozinha.

A fim de preservar as características originais da construção, foram tomadas algumas medidas, como, por exemplo, encomendadas réplicas do ladrilho hidráulico original que compõe o assoalho do prédio. O Teatro Cidade de São Luis é todo adaptado para receber as pessoas com deficiência física, com rampas de acesso, lugares especiais e banheiros adaptados.

A obra foi executada em um ano com orçamento de R$ 1 milhão e 400 mil. Os recursos foram provenientes do Plano de Aceleração de Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, um convênio entre a Prefeitura de São Luís e o Governo Federal. A administração do Teatro da Cidade de São Luís ficará a cargo da Prefeitura Municipal.

Conheça também o Teatro Arthur Azevedo.

O presidente da FUMPH, José Aquiles Sousa Andrade, destaca o tamanho, o conforto e a praticidade do espaço como as principais características do novo teatro. “O grande trunfo será seu tamanho. Por ser pequeno, as pautas de locação custam bem menos, facilitando a realização de espetáculos particulares destinados a um número reduzido de pessoas. Os grupos de um público não muito grande e que não tem muito dinheiro não precisam mais recorrer ao Teatro Arthur Azevedo para mostrar seu trabalho”, acredita.

Com informações de Raiza Carvalho

Anúncios

3 comentários sobre “Teatro da Cidade de São Luís

  1. Gostei do blog. Mas a reforma Jorge não foi só da prefeitura, é graças a projetos do governo federal. Mesmo assim, São Luís ganhou um belo presente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s